Patagônia Argentina

Patagônia

A Patagônia Argentina pode ser dividida em duas áreas distintas: A Patagônia Atlântica e a Patagônia Andina (ou Austral).

A região Atlântica caracteriza-se por apresentar vegetação rasteira, desértica e ao mesmo tempo possuir uma rica fauna marinha composta por: pinguins, baleias, leões marinhos e lobos do mar. A região se tornou a maior concentração de animais marinhos do planeta.

Já no lado Andino é dominada pela Cordilheira dos Andes e apresenta cenários com montanhas de picos eternamente nevados, geleiras e lagos que lembram pinturas.

As maiores atrações no lado argentino da Patagônia são o Parque Nacional los Glaciares, em El Calafate, onde está o imponente Glacial Perito Moreno, El Chaltén e Ushuaia.

Região Atlântica

Sobre a região Atlântica

Destino obrigatório para os entusiastas e amantes da vida selvagem. Na Península Valdés se encontra a maior colônia de pinguins de Magalhães do continente, mais especificamente na reserva de Punta Tombo. Além da variada população das aves marinhas, na época certa é possível avistar as imponentes baleias francas a poucos metros de distância. Gaiman, reduto histórico da colonização Gaulesa e San Julian Camarones também são paradas obrigatórias. Para os mais aventureiros existe a possibilidade de mergulhar com os lobos marinhos.

Principais atrações e regiões turísticas:

Puerto Madryn:

Cidade base, usada para explorar a fantástica região da Península Valdés. É ali que está a maioria dos hotéis da região contando com a melhor infraestrutura turística.

Reserva Faunística De Punta Loma:

Reserva Faunística De Punta Loma

Fica a 17 km de Puerto Madryn. Lugar ideal para observação da fauna. O mirante fica a cerca de 20 m de distância dos animais, com a melhor vista durante a maré baixa. A Playa FlechaI, poucos quilômetros adiante, é um local ideal para avistar as baleias.

Reserva Faunística Península Valdés:

Tombado como patrimônio da humanidade pela UNESCO é uma das mais belas reservas de vida selvagem da América do Sul. A península abriga: leões marinhos, elefantes marinhos, lhamas selvagens, pinguins e enorme diversidade de aves marinhas. Um dos grandes destaques fica por conta das baleias francas austrais, ameaçadas de extinção.

Puerto Piramides:

Antigo porto de sal hoje é um dos principais pontos de saída das excursões para avistar baleias. É também considerado como melhor local para ver os saltos, mergulhos e caudas destes cetáceos gigantes. A pacata cidade abriga ainda uma enorme colônia de leões marinhos.

Punta Delgada:

Fica a 75 km a sudoeste de Puerto Piramides, ideal para observar os leões marinhos durante a primavera e ainda uma enorme colônia de elefantes marinhos que podem ser vistos do alto de um morro.

Punta Cantor:

Na primavera a baia de cascalho fica repleta de elefantes marinhos que se amontoam uns nos outros. Em setembro as fêmeas dão crias enquanto os machos brigam para tentar defender seus impérios.

Punta Norte:

A mais distante e menos visitada de toda península. Aqui o espetáculo fica por conta das baleias orcas de fevereiro a abril.

Trelew:

Porta de entrada para o santuário da vida selvagem da Península Valdés.

Gaiman:

Pacata cidade famosa pelas tortas (torta negra), pães e chá galês. Ponto de parada obrigatório para quem quer conhecer a história da colonização galesa.

Punta Tombo:

Com meio milhão de pinguins de Magalhães esta é a maior região de procriação de pinguins da América do sul.

Região Andina

Sobre a região Andina

Terra dos famosos picos "dentados" é nesta região que encontramos os principais cartões postais da Patagônia. As enormes paredes de granito produzem um espetáculo de luz à parte, ao nascer e no por do sol e quando interagem com os glaciais, que ao "escorrem" através dos seus vales compõem uma das paisagens naturais mais belas do planeta Terra.

A Patagônia Andina é dominada pela Cordilheira dos Andes e apresenta cenários com montanhas de picos eternamente nevados, geleiras e lagos que lembram pinturas. 

Principais atrações e regiões turísticas:

Parque Nacional los Glaciares (Sul):

Aqui se encontra uma parte da terceira maior extensão de gelo continental do mundo ficando atrás apenas da Antártica e Groelândia. E é neste parque que ainda encontramos diversos glaciares entre eles o Perito Moreno e o Upsala.

Glaciar Perito Moreno:

Um dos mais maravilhosos glaciares que existe. O cenário é verdadeiramente uma atração inesquecível, onde se pode contemplar o gélido e azulado glaciar enquanto icebergs desmoronam provocando estrondos. Este glaciar é um dos únicos que se encontra em situação "estável".

El Calafate:

Sem dúvida é nesta cidade que se encontra o principal cartão postal de toda a Patagônia Argentina: o Glaciar Perito Moreno. A pequena cidade com cerca de 20 mil habitantes fica estrategicamente localizada entre El Chalten e Torres Del Paine (Chile), o que a torna parada obrigatória para os turistas. A bela cidadezinha é repleta de lojas de chocolate, souvenires e restaurantes.

Cerro Fitz Roy:

É uma montanha localizada na fronteira entre a Argentina e o Chile. Ideal é caminhar pela região dos picos dentados na remota região de El Chaltén, parte norte do Parque Nacional los Glaciares.

Península Valdés:

Patrimônio Mundial da UNESCO desde 1.999. Região que abriga grande quantidade de animais. Baleias ou pinguins? Seja qual for seu favorito, você vai se deliciar neste mundo povoado de vida selvagem.

Tierra del Fuego:

Um arquipélago na extremidade sul da América do Sul, separado do continente pelo Estreito de Magalhães. Aqui está a bela cidade de Ushuaia, mais conhecida como Fim do Mundo. Esse arquipélago marca geograficamente o fim das Américas, dividido entre Argentina e Chile.

Ushuaia:

Cidade mais meridional da Argentina e do continente americano. O centrinho é bastante convidativo para uma caminhada, durante a qual se pode contemplar o Canal de Beagle com montanhas de picos nevados ao fundo.

Laguna Torre:

Um dos passeios imperdíveis para realizar a partir de El Chaltén. Do topo do mirante Laguna Torre é possível ter uma vista completa do vale até o extraordinário cume do Cerro Torre com seus 3128 metros (cerca de 3 horas de caminhada só de ida).

Glaciar Upsala E Lago Onelli:

Gigantesco glaciar com quase 600 km² é conhecido pelos icebergs que se desprendem e ficam boiando próximos, com suas formas estranhas e graciosas. Só pode ser visitado de por enormes catamarãs.

Lago Roca:

No braço sul do lago argentino, este mais parece um cartão postal com suas lindas vistas de florestas e montanhas.

O que fazer na Patagônia Argentina

Esqui:

Os mais variados esportes de neve podem ser praticados na Patagônia. Desde os iniciantes aos mais experientes há vários centros com ótima infraestrutura prontos para lhe ajudar. Alguns como: Cerro Catedral (Bariloche), Cerro Castor (Ushuaia), Cerro Chapelco (San Martín) e muitos outros.

Aventuras:

Para os que gostam de "turismo aventura", existem inúmeras possibilidades para aproveitar como: rafting, caiaque, cavalgadas, mountain bike, corridas e muito mais.

Trekking:

Os cenários da Patagônia são surpreendentes para quem gosta de praticar trekking. Há circuitos menos exigentes para iniciantes ou para quem quer apenas curtir a paisagem, e há outros mais intensos, como: caminhar por glaciares, subir cerros e montanhas, andar pelos lindos bosques, vales e lagoas escondidos.

Mergulho:

Para os amantes da vida marinha, o litoral de Puerto Pirámides e os lindos recifes naturais de Puerto Madryn oferem uma experiência inesquecível. Há instrutores e equipamentos disponíveis para a prática do esporte durante todo o ano. Outras regiões ótimas para a prática do mergulho são Terra do Fogo, Rio Negro e Puerto Nevado.

Pesca esportiva:

Se você ama a pesca esportiva, a Patagônia é o lugar certo. Há várias cabanas, resorts, pousadas e hotéis prontos para acolher os praticantes da pesca. Ambos preparados com serviços específicos como guias, equipamentos e ambientes exclusivos.

4x4:

Fazer trajetos em veículos 4x4 é uma das atrações mais buscadas nos últimos anos. Apesar das viagens serem cansativas e longas, a primeira vista dos Andes compensa todo o trajeto. No lado argentino existe a Ruta 40, o caminho mais famoso e buscado para essa prática, com enorme distância e dificuldades no terreno.

Melhor época para viajar

O principal atrativo da Península Valdés são os animais marinhos, e cada uma das espécies tem seu próprio ciclo de migração. Para encontrar a maior quantidade e variedade de animais, a melhor época para se visitar a península são os meses de setembro, outubro e novembro, quando todos os animais estão presentes: baleias, golfinhos, pinguins, aves, elefantes e lobos marinhos. Não se esqueça de levar binóculos, que são essenciais para avistar animais marinhos, como baleias e golfinhos. Dependendo da época, estes animais podem ser avistados de terra firme, não sendo necessário fazer navegação.

Ciclos da fauna marinha

Ciclo das baleias:

De junho à outubro, é possível avistar baleias francas austrais e entre fevereiro à abril e agosto à novembro, também se encontram as orcas.

Ciclo dos elefantes e lobos marinhos:

Tem residência permanente na Península Valdés e podem ser avistados durante todo o ano.

Ciclo dos golfinhos e toninhas:

Podem ser encontrados de agosto à abril.

Ciclo dos Pinguins:

Os pinguins magalhânicos são encontrados na Península Valdés entre os meses de setembro à abril.

A Reserva Punta Tombo é uma das maiores pinguinera da América e obedece ao seguinte ciclo:

Janeiro:

Filhotes começam a deixar os ninhos, mudam plumagem e tem primeiros contatos com o mar.

Fevereiro:

Nova mudança de plumagem dos filhotes, já em idade juvenil e evitando o mar em razão dos predadores naturais.

Março/Abril:

Fim da mudança de plumagem dos jovens e começo da dos adultos. Início da migração ao mar no final de Abril.

Setembro:

Chegada dos machos e fêmeas, início das lutas territoriais e preparação dos ninhos.

Outubro:

Período dedicado à incubação dos ovos (duram de 35 a 40 dias).

Novembro:

Época do nascimento e primeiros cuidados com os recém-nascidos.

Dezembro:

Mês de intensa atividade sobre a praia e constantes ataques aos ninhos pelas gaivotas e skuas (aves marinhas).

Mais informações sobre a região

Clima:

Na Patagônia Atlântica devido à influência oceânica o clima da região é temperado. Quase sempre as temperaturas chegam abaixo de zero durante o rígido inverno desta região.

Seco, gélido e ventoso é assim que podemos resumir o clima na Patagônia Andina. Os Andes chilenos bloqueiam toda massa úmida e tempestades vindas do pacífico. Depois de fortes chuvas nas encostas andinas, poderosas rajadas de vento carregam o ar seco pelas planícies áridas da Patagônia. Na região da Terra do Fogo os ventos são mais fortes (árido no norte e chuvoso no sul), porém com clima marítimo pode ser considerado ameno para sua latitude.

Fuso-horário:

Uma hora a menos que o horário de Brasília. No nosso horário de verão, a diferença é de 2 horas.

Idioma:

Espanhol.

Voltagem:

A corrente elétrica da região é de 220 volts.

Bagagem:

É permitido levar uma mala com até 20 Kg por passageiro e uma bagagem de mão de até 5 Kg. Não se esqueça de identificá-las e fechá-las adequadamente.

Documentação:

• Brasileiros: Carteira de Identidade (RG) original com menos de 10 anos de uso e em bom estado ou passaporte válido (inclusive crianças), a embaixada chilena esta exigindo RG original com menos de 05 anos de uso.

• Estrangeiros: Passaporte válido, vistos consulares (quando necessários) e R.N.E.

• Menores: Só poderão viajar com autorização do pai e da mãe. Na falta de um ou de ambos deverá ser apresentada autorização com firma reconhecida em cartório. Na ausência dos pais uma autorização do juizado de menores deverá ser apresentada e em caso de viuvez é indispensável a apresentação do atestado de óbito.

• Passaporte azul (menores): O novo passaporte brasileiro, de cor azul, não apresenta os nomes do pai e da mãe do portador e, portanto, é obrigatório que o passageiro tenha em mãos o RG ou a certidão de nascimento (além da autorização do juizado de menores, caso esteja desacompanhado).

• Outras observações: sob nenhuma hipótese serão aceitos os seguintes documentos: Certidão de Nascimento para menores de idade; RG xerocado, rasgado, em mau estado de conservação; Carteira de Habilitação; documentos de classes tais como: militares, OAB, CREA, CRM, etc.. Observar documentos em nome de solteiro quando a passagem aérea for solicitada em nome de casado. Recomenda-se especial atenção quanto à documentação de viagem. Qualquer problema que ocorra devido à documentação incorreta será de responsabilidade dos clientes.

Moeda:

Peso Argentino. É recomendado levar dólar e realizar a troca por pesos localmente. Para ter uma ideia do valor do câmbio, você pode consultar: www.cotacao.com.br. Outra dica é levar seus reais e trocá-los no Banco de La Nación, no saguão do Aeroporto Internacional de Buenos Aires, que oferece cotação melhor do que o quiosque que fica dentro da área das esteiras de retirada de bagagem.

Taxas: Taxas de embarque pagas na Argentina (valores aproximados):

• - US$ 8,00 em Trelew;

• - US$ 13,00 em Ushuaia;

• - US$ 17,00 em El Calafate;

As taxas de embarque internas da Argentina poderão ser pagas somente com pesos argentinos ou dólares. Cartão e cheques não serão aceitos.

 

Entradas nos Parques Nacionais (estas valores estão sujeitos a alteração sem aviso prévio):

• Parque Nacional Los Glaciares: US$ 28,00 por pessoa/dia;

• Parque Nacional Torres del Paine: US$ 34,00 por pessoa;

• Cuevas del Milodon: US$ 10,00 por pessoa;

• Parque Nacional Tierra del Fuego: US$ 22,00 por pessoa (até 30/09/11); US$ 25,00 (01/10/11 a 31/03/12);

• Taxa de Porto de Ushuaia: US$ 3 por pessoa;

• Parque Península Valdes: US$20 por pessoa;

• Parque de Punta Tombo: US$ 15 por pessoa;

• Parque de Punta Loma: consultar

 

Vacina:

Não há nenhuma vacina obrigatória.

Embaixada:

Embaixada do Brasil na Argentina: (54 11) 4515-2400.

Como ligar para o Brasil?

Para realizar chamadas a cobrar, disque: 800 555 5500 + DDD da cidade brasileira + número do telefone.

Alfândega Brasileira

Na chegada ao Brasil, são permitidos objetos de uso pessoal, roupas e brinquedos e U$ 500,00 em eletrônicos, mais U$ 500,00 de Free Shop.